Skip to content

>Como é o metabolismo energético do embrião do mosquito da dengue?

by em abril 1, 2010

>

ResearchBlogging.org

É com grande satisfação que escrevo a primeira vez sobre um artigo produzido 100% em território nacional. O grupo do Rio de Janeiro liderado pelo Prof. Carlos Logulho da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) demonstrou pela primeira vez quais vias metabólicas estão atuantes durante o desenvolvimento embrionário do mosquito da dengue, o Aedes aegypti. Acho que não é nem necessário dizer o quão importante é esse tipo de estudo, afinal o mosquito da dengue está sempre a nossa volta e entender a embriogênese desse inseto ao nível molecular é fundamental para o desenvolvimento de novos mecanismos de controle.

No presente artigo Vital e cols. correlacionam eventos morfológicos importantes do desenvolvimento do mosquito com a atividade das diversas enzimas importantes para o metabolismo de glicose. A análise dos níveis do RNA-m da enzima GSK-3, uma enzima bem conhecida dos biologistas do desenvolvimento, pois atua na via de sinalização de Wnt, também mostrou uma correlação interessante com os níveis de glicose e glicogênio do ovo.

Tanto a atividade quanto a expressão de GSK-3 diminuíram bastante entre 5 e 24 horas após a ovoposição (HAE), enquanto que a concentração de glicogênio, de modo inverso, aumentou no mesmo período. Os autores propõem que assim como em vertebrados em mosquitos, a atividade de GSK-3 seria negativamente regulada pela via de sinalização de insulina. A gliconeogênese, a formação de glicose a partir da quebra de produtos do metabolismo de proteínas e lipídeos (não-carboidratos), por sua vez, aumenta após a formação da banda germinal, um resultado que sugere que há uma compensação na geração de glicose a partir desta via alternativa. Outro aspecto interessante do artigo foi o pico de glicose observado a 15 HAE, que precede a síntese da cutícula serosa, uma estrutura que foi previamente mostrada por um dos autores (o pesquisador Gustavo Rezende) como importante para evitar o processo de dissecação do ovo de Aedes (Rezende et al., 2008 BMC Dev Biol).

O presente trabalho além de bastante interessante pelos dados apresentados abre várias questões que podem levar a uma análise de Evo-Devo. 1) Será que o estágio de retração da banda germinal é o ponto de referência da embriogênese em relação ao metabolismo da glicose em outros artrópodes? 2) Qual(ais) as vias de sinalização que são afetadas pela perda da função de GSK-3? 3) Em que região do ovo são expressas as enzimas das vias metabólicas? >p> Essas e outras questões demandam estudos em outros artrópodes em que estudos funcionais (RNAi) são possíveis. É aí que um besourinho da farinha ou uma aranha-de-casa pode ajudar…mas isso é um assunto para possíveis colaborações do autor do post com os autores do artigo…

Vital W, Rezende GL, Abreu L, Moraes J, Lemos FJ, Vaz Ida S Jr, & Logullo C (2010). Germ band retraction as a landmark in glucose metabolism during Aedes aegypti embryogenesis. BMC developmental biology, 10 PMID: 20184739

From → Uncategorized

One Comment
  1. >O mesmo grupo publicou um artigo sobre GSK-3 no carrapato do boi.Effect of GSK-3 activity, enzymatic inhibition and gene silencing by RNAi on tick oviposition and egg hatching. Parasitology 137:1537-1546, 2010.http://journals.cambridge.org/action/displayAbstract?aid=7784953

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: